terça-feira, 28 de setembro de 2010


Você encontra sentimentos onde acreditava não existir nada, conhece sorrisos que te fazem sorrir, e aprende mil coisas bobas que pra você agora são importantes. E vive se perguntando qual o segredo dele, que consegue ter esse efeito imenso sobre você.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010


Você sempre ouviu das pessoas que o amor era tudo, mas você acaba descobrindo da pior maneira que não, ele não é tudo. Infelizmente amar não é o suficiente, quando o mundo resolve te passar a perna e tirar ele de perto de você, ou colocar mil coisas pra derrubar vocês. E não adianta dizer, nós vamos passar por cima de tudo isso juntos, uma hora um dos lados vai cair, ou os dois. Eu queria acreditar que o amor é tudo, mas a vida me mostrou que isso também não é real.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010


Eu não quero me sentir assim, você me conhece muito bem e sabe do tamanho do meu orgulho, mas agora a dor está maior que o meu orgulho. Eu preciso de você, suas lembranças já não são suficientes, e não venha me dizer que você não é o melhor pra mim, eu já decidi o que é melhor, e é você. Eu odeio toda essa distância que insiste em deixar você fugir de mim.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010


Talvez nada dure para sempre mesmo, mas o importante é como você vai aproveitar enquanto durar. Tudo vai acabar um dia, mas o importante é levar coisas boas de tudo que você viver, você tem todo direito de sofrer por algo que acabou, te dou 2 minutos pra isso, mais nada.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010


Só você enxerga ele bonito, e perfeito, mas você não se importa, nunca se importou. Ele se encaixa perfeitamente em você, e isso sempre foi suficiente pra vocês.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010


É vazio sem você, não que eu não seja feliz, eu sou, mas não é por inteira. Parece que sempre que eu dou um sorriso eu lembro de como você gostava dele, e de como me deixava sem graça quando me elogiava. Se eu te esqueci? não, parece que em todos os lugares algo me lembra você, aquela minha amiga que você morria e morre de ciúmes, as nossas músicas que você nem ouve mais, as nossas piadas. Eu estou me segurando pra não te chamar, mas sem querer eu chamo, e você aparece, nós conversamos, sorrimos, dessa vez sorrimos juntos, e você diz que precisa ir, mais uma vez, e mais uma vez você leva um pedaço de mim, e me deixa sem chão.