sábado, 15 de maio de 2010


Você já parou para pensar que quando as iniciais dos nossos nomes se unem formam o que essencialmente você é para mim. Aquilo que eu preciso para sobreviver. E que talvez em excesso não cause danos maiores a mim como se um dia chegasse a faltar. AR, tu és o meu ar, necessário para que eu ainda continue aqui, pelo modo como sou loucamente apaixonado por você. E se me dizem o quanto sou insano e de que não preciso de tudo isso porque antes já vivia sem ti, na verdade eles não sabem de que a vida inteira estive a te procurar e que só agora estou vivendo.
Talvez porque não sejamos metades um do outro e sim o todo de um. Um só amor, um só coração, o mesmo sorriso e é por isso que às vezes digo que você me imita, mas é por sermos tão parecidos. A minha bebê, que eu cuido sempre, que me preocupo mesmo, porque te amo te amo muito muito, mas do que possa um dia vir dizer, não tem tradução.
Estamos tão ligados que mesmo longe estamos mais perto do que se imagina, sinto todas as tuas dores, pavores assim como os teus beijos, aconchegos e os lindos sorrisos *-* Ah como sou tão teu como você é minha, só minha. Essa nossa possessividade mútua, esse querer maior do que qualquer outra coisa. E nós dois sabemos o que sentimos e que ninguém vai determinar algo por nós, não adianta. O amor é mais forte que tudo tudo mesmo, e temos ele. Minha morena,

créditos para o meu lindo, Cadu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário